As relações de violência ligadas ao gênero, raça/etnia, classe
em contraposição ao capitalismo/patriarcado vêm se mostrando cada vez mais
relevantes na atualidade. É necessário que façamos um esforço na tentativa de
não reduzirmos a violência doméstica, bem como as questões de não equidade
de gênero, a uma simples dicotomia entre homens e mulheres proposta pelo
projeto colonial/moderno. Faz-se mister contextualizar o projeto histórico que
nos fez chegar até este momento em que a construção da violência doméstica e
de gênero funcionam como disciplinadora de corpos considerados desviantes ou
dissidentes, ou seja, corpos que não correspondem ao ideal de humanidade
centrada no homem, branco, heterossexual, cristão, militar considerado o
essencial ou sujeito universal paradigmático.

MINISTRANTE

Drica Madeira

Professora

Adriana Madeira Coutinho (Drica Madeira) nascida no Rio de Janeiro, no dia 08 de Março de 1979 e criada em Petrópolis desde a infância. Doutoranda em Ciência da Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ, com bolsa CAPES. Pesquisadora das questões de gênero, feminismo, novas tecnologias, realidade brasileira e descolonialidades no Programa Avançado de Cultura Contemporânea (PACC) sob orientação de Heloisa Buarque de Hollanda e Beatriz Resende; pesquisadora do grupo Escritas do Contemporâneo coordenado por Beatriz Resende; Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Laboratório de Teorias e Práticas Feministas coordenado por Luciana María di Leone; Pesquisadora do Grupo de Estudo descolonial Carolina Maria de Jesus sob coordenação de Susana de Castro Amaral Vieira; Mestra em Direito pela Universidade Católica de Petrópolis (2015) tendo defendido a dissertação "Lei Maria da Penha" um estudo empírico sobre sua aplicação nos juizados de violência doméstica e familiar contra a mulher do estado do Rio de Janeiro". Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa pela Universidade Católica de Petrópolis (2009) tendo defendido a monografia sob o título "Uma Análise do Discurso Operário do Lula". Foi membro titular do Comitê de Ética da Universidade Católica de Petrópolis de 2015 a 2016. Consultora nas áreas de gênero e violência contra a mulher. Diretora e apresentadora do programa televisivo Toda Prosa - o bate papo da mulher atual (2012/2015) e Drica Madeira Por Aí. Responsável pela organização da Semana de Combate e Enfrentamento a Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (2013;2014;2015;2016) e pela Campanha dos "16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher" no município de Petrópolis RJ (2013;2014;2105; 2016). Atuou como conselheira nos conselhos de direito municipais de Igualdade Racial e de Direitos da Mulher (2013; 2014; 2015; 2016). Fundadora e ex coordenadora do Centro de Referência e Atendimento a Mulher de Petrópolis (2007 a 2015); Ex Coordenadora Executiva da Superintendência de Direitos da Mulher do Estado do Rio de Janeiro (2012); Ex coordenadora executiva do Planetário da Gávea no Rio de Janeiro (2010); Ex Diretora ? Presidenta da Fundação de Cultura e Turismo de Petrópolis (2015-2016). Atualmente trabalha, em especial, com os seguintes temas: Cultura e política, campos teóricos da teoria literária e dos estudos culturais, relações de gênero, relações étnicas/raciais, feminismo, violência, literatura contemporânea, relação entre ética e estética.

Aula 01: 22/09/2021

Objetivos: Apresentação das políticas feitas por e para mulheres desde a década de
80, como SOS Vida até o sancionamento da Lei Maria da Penha do Feminicídio;

 

Aula 02: 25/09/2021

Objetivos: Discutir políticas de encarceramento no Brasil, abolicionismo penal e
desigualdades sociais e a busca de saídas para tais questões na busca de um mundo
livre de violência para as mulheres.

 

Link do Lattes: Drica Madeira