APRESENTAÇÃO:

O curso de Didática e Metodologia no Ensino de Filosofia, foi desenvolvido com o objetivo de problematizar os conceitos de “método” e “didática” para além das proposições tradicionais de ensino. O “sujeito” das ciências foi fundamentado a partir de teorias majoritariamente masculinas; além disso, estamos inseridos em um contexto diferenciado daquele através do qual se pensou justificar as melhores técnicas de ensino, cujo processo envolve a performatividade do educador, juntamente com o desenvolvimento de métodos que possam dialogar com as diferentes realidades dos estudantes. Partindo do pressuposto de que se torna inviável fundamentar o currículo educacional em moldes tradicionais (ou sempre repetidos) [de maneira anacrônica], tem-se com este curso a pretensão de reinterpretar teorias da aprendizagem e de ensino através da ótica das teorias feministas, associando tradição e renovação. Como bem observa Hannah Arendt, “a crise de autoridade na educação está intimamente ligada com a crise da nossa atitude face a tudo o que é passado. Para o educador, este aspecto é especialmente difícil uma vez que é a ele que compete estabelecer a mediação entre o antigo e o novo, razão pela qual a sua profissão exige de si um extraordinário respeito pelo passado” (ARENDT, A crise na educação, p. 12). Desta forma, abordaremos as críticas feministas no que diz respeito a um posicionamento pós-estruturalista em relação ao saber, pois a linguagem utilizada em  aula parece, frequentemente, reproduzir uma distinção sexista. Com isso surge o desafio de repensarmos a prática docente, de forma a que possamos situar e representar todos os indivíduos do ensino, apesar de sua classe, raça, gênero e os demais contextos que abarcam a pluralidade humana. Acreditamos que o curso será uma ótima oportunidade, tanto para aqueles profissionais da educação que buscam por um aperfeiçoamento que dialogue com as mudanças contemporâneas da realidade escolar e a teoria feminista, como também para os futuros profissionais que tenham interesse em ampliar seu horizonte de possibilidades metodológicas. Por isso, convidamos a todas e todos a fazer parte da reinvenção pedagógica do saber.

Pré-Requisito: É de extrema importância para o desenvolvimento das aulas, que as cursistas leiam a bibliografia básica do curso. Autoras sugeridas: Hannah Arendt, Laura Gracie, Laura Goulart, Guacira Lopes Louro, Bell Hooks, Sandra Corazza e Sueli Carneiro. 

Programação:

  • Serão 6 módulos entre fevereiro e dezembro de 2022;

  • 01 palestra no primeiro semestre de 2022;

  • A cada duas disciplinas ocorrerá um seminário integrador, apresentando resultados com propostas pedagógicas;

  • No encerramento do curso propomos uma apresentação final de trabalhos referentes ao curso completo, de forma que as cursistas possam apresentar projetos de posologia entre prática e teoria.

Na matrícula confirmada até dia 18/12/21, a cursista receberá um exemplar do V1. da Coleção As Pensadoras.

 

A ementa completa você terá acesso após confirmação da matrícula.

MINISTRANTE

Adriana Mattar Maamari

Professora

Adriana Mattar Maamari possui Doutorado (Doctorat d´État) em Filosofia pela Université Paris Ouest Nanterre la Défense - France (2008) e Doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo - (2008). Tem Mestrado em Filosofia pela Universidade de São Paulo (2002), Graduação em Bacharelado (1995) e Licenciatura (1996) de Filosofia pela Universidade de São Paulo, e Graduação em Bacharelado de Ciências Sociais (1991) pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Atualmente exerce o cargo de Professora Efetiva, com Dedicação Exclusiva, na Universidade Federal de São Carlos, atuando no Ensino de Graduação junto ao Curso de Licenciatura de Filosofia e na Pós-Graduação junto ao Programa de Educação. É membro de três conselhos editoriais: do periódico Revista Sul-Americana de Filosofia e Educação da Universidade de Brasília DF (ISSN 16798785); do periódico Fermentario da Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, Universidad de la República, Montevideo, Uruguay (ISSN 16886151); da Coleção Filosofia e Ensino da Editora UNIJUí RS. Tem experiência nas áreas de Filosofia e de Educação, com ênfase em Ética e Filosofia Política, Teoria Política, Direitos Humanos, Ensino de Filosofia, Formação de Professores, Epistemologia e Estética. Atualmente coordena o grupo de pesquisa "Aspectos Éticos, Políticos, Estéticos e Epistemológicos das Teorias e Práticas Escolares ou Educacionais"; o "Laboratório de Ensino de Filosofia e Formação de Professores" (Lenfi) e o curso de Pós-Graduação em Ensino de Filosofia (Lato Sensu) da UFSCar. Atuou como pesquisadora do NEMGE (Núcleo de Estudos da Mulher e de Gênero da USP) sobre as imagens do feminino no século XVIII.

Alice Lino Lecci

Professora

Alice Lino Lecci, Professora Adjunta no Instituto de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal de Rondonópolis-MT; Doutora em Estética Contemporânea pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade de São Paulo, Mestre em Estética e Filosofia da Arte pelo Instituto de Filosofia, Arte e Cultura da Universidade Federal de Ouro Preto, Bacharel e Licenciada em Filosofia pela Universidade Federal de Ouro Preto. É associada à International Association for Aesthetics e editora adjunta da Revista Artefilosofia (UFOP). Áreas de interesse: Estéticas afro-brasileiras e ameríndias; Feminismo negro; Estética Kantiana

Beatrís da Silva Seus

Professora

Beatris Seus é formada em Filosofia - Licenciatura pela Universidade Federal de Pelotas (2013 - 2016), sendo também Mestre em Filosofia Moral e Política pela mesma instituição (2017 - 2019). Atualmente cursa Doutorado na UFPel, defendendo a Tese intitulada Simone de Beauvoir e a superação do Niilismo: Fundamentação de um Princípio Moral Universalizável. Seus estudos concentram-se na Filosofia Moderna e Contemporânea, com ênfase em Ética, Ontologia, Fenomenologia e Existencialismo; estendendo-se à pesquisa sobre a filosofia nietzschiana. Autora da obra Simone de Beauvoir e a libertação da mulher: do existencialismo sartriano à moral da ambiguidade, fruto de sua dissertação de mestrado. Faz parte da equipe pedagógica da Escola de Formação Feminista As Pensadoras desde 2020.

Elisete Medianeira Tomazetti

Professora

Possui Licenciatura Plena em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (1985), mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria (1991) e doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (2000). Atualmente é professora Titular da Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Metodologia do Ensino. Atua no Curso de Filosofia/UFSM nas disciplinas de Didática da Filosofia, Pesquisa para o Ensino de Filosofia e Estágio Curricular Supervisionado. Líder do Grupo de Pesquisa/CNPQ FILJEM (Filosofia, Cultura e Educação). Coordenadora do LEAF - Laboratório de Ensino e Aprendizagem de Filosofia, do Curso de Filosofia/UFSM. É professora do Programa de Pós-Graduação em Educação, na Linha de Pesquisa 2: Políticas públicas educacionais, práticas educativas e suas interfaces. Investiga os temas: ensino de filosofia, educação e juventude, ensino médio. Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSM e o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência - PIBID/Filosofia/UFSM.

Ester Maria Dreher Heuser

Professora

Professora desde os 19 anos. Trabalhou com crianças e jovens da Educação Básica, entre 1993 e 2004. Mãe de Helouise Heuser Schorn, desde 15 de fevereiro de 1999. Graduada em Filosofia pela UNIJUÍ/RS, onde fez Mestrado em Educação nas Ciências, Área Filosofia, quando pesquisou a proposta filosófica-pedagógica de Filosofia para Crianças, de Matthew Lipman. Fez doutorado em Educação, pela UFRGS, na linha de Pesquisa "Filosofias da Diferença e Educação", sob a orientação da Filósofa da Educação Sandra Mara Corazza, quem será referência no módulo do Curso intitulado "Metodosofia: dramatização e transcriação". A pesquisa de doutorado foi publicada na Coleção "Filosofia e Ensino", da Editora UNIJUÍ, sob o título Pensar em Deleuze: violência e empirismo no Ensino de Filosofia. Desde 2009 trabalha na Licenciatura em Filosofia, da UNIOESTE/PR, onde também ensina, pesquisa e orienta na Pós-graduação, na Linha de Pesquisa "Ética e Filosofia Política". É vice-coordenadora da Rede de Pesquisa Escrileituras da diferença em filosofia-educação. Até outubro de 2022 realiza estágio de pós-doutorado na Universidade de Buenos Aires, com o Projeto de Pesquisa "Deleuze y el método de dramatización: potencias para la enseñanza de la Filosofía". Realizadora de dois Projetos áudio-fônicos, com literatura e filosofia, para experimentar "O que pode a voz?".

Joana Tolentino

Professora

Joana Tolentino é licenciada, mestra e doutora em Filosofia pela UFRJ e professora de filosofia do Colégio Pedro II, lecionando na educação básica e na formação docente - atualmente coordenadora do curso de Licenciatura em Filosofia, com ênfase decolonial. Também é atriz, mãe de duas crias e mulher de terreiro. Milita no combate ao racismo religioso e por uma educação pública, gratuita, laica, de qualidade, antirracista, antissexista, para todes. É pesquisadora dos grupos Corpoder - filosofias decoloniais: corpos, poderes e saberes e Travessias - filosofia, educação e decolonialidade e membra dos GTs da ANPOF Filosofar e Ensinar a Filosofar e Filosofia da Libertação, Latino-Americana e Africana. Pesquisa decolonialidade, feminismos, a relação entre ser humano e natureza, educação afrorreferenciada e ensino de filosofia.

Módulo 1: Filosofia para crianças: por uma educação investigativa com a Professora Mestra Beatrís da Silva Seus. (Dias 03, 04 e 05 de fevereiro de 2022)

O objetivo deste módulo é de problematizar a distinção entre ensinar Filosofia e fazer Filosofia, buscando situar a referente disciplina enquanto uma ferramenta de caráter transversal para as demais áreas do saber. Além disso, consideramos de extrema importância repensarmos o diálogo entre “ensinar” e “educar”, adotando um posicionamento construtivista em relação ao referencial teórico que Matthew Lipman chama de “romance filosófico”. Acreditamos ser possível desenvolver valores éticos e morais – por exemplo –, a partir da leitura e debate de textos desenvolvidos especificamente para crianças e jovens. Nosso módulo irá adotar a perspectiva feminista em dois momentos: I) na tentativa de desenvolvermos um diálogo sobre questões de gênero para o público infantil, e II) na fundamentação do conceito de “literatura metafísica” desenvolvido por Simone de Beauvoir.

CURRÍCULO LATTES PROFESSORA BEATRÍS

 

Módulo 2: Didática, professoras e modos de ensinar filosofia com a Professora Dra. Elisete Medianeira Tomazetti. (Dias 10, 11 e 12 de fevereiro de 2022)

Este módulo tem como um de seus objetivos recuperar criticamente o modo como a didática compôs a formação de professoras e professores de filosofia desde os primeiros cursos de licenciatura, no contexto de emergência da universidade brasileira: centralidade na aprendizagem da filosofia e secundarização do saber e da disciplina didática. A didática atribuída como o ofício de mulheres do campo da educação constituiu-se como enunciado orientador de práticas formativas ainda vigentes. Com tal constatação perguntamos: que didáticas, marcadas por esta questão de gênero, foram criadas e legitimadas? Que modos de ensinar e aprender filosofia foram por tais didáticas sustentados? O que podemos pensar acerca de uma perspectiva feminista a orientar a construção de didáticas da filosofia no contexto brasileiro atual? Tais questões orientarão o desenvolvimento do módulo e darão margem a outras mais, porque não se trata de obter respostas, mas sermos provocados a pensar o que, talvez, ainda não pensamos ou pensamos, mas não demos a elas a visibilidade necessária.

CURRÍCULO LATTES PROFESSORA ELISETE

Módulo 3: Metodosofia: dramatização e transcriação no ensino de Filosofia com a Professora Dra. Ester Maria Dreher Heuser. (Dias 02, 03 e 04 de junho de 2022)

Propõe-se a pensar a docência filosófica de uma perspectiva autoral e a Aula como espaço-tempo especial. Problematiza as funções docente e tradutória lado a lado, como imprescindíveis para que o pensamento filosófico se mantenha vivo e funcione em Aula, este espaço-tempo em que a transcriação da herança recebida é compartilhada no encontro com as novas gerações. Para tanto, ocupa-se das seguintes questões: como inventamos uma Aula, um curso? O que investigamos, lemos e escrevemos para essa invenção? Quais são os meios e os materiais que usamos para inventar? Quais bagagem, herança e tradição as Aulas carregam? O que nos força pensar, escolher textos, afastarmo-nos de outros, buscar distintas companhias para chegar ao ponto de dizer: “eis minha Aula”? Por quais encontros nas Aulas somos responsáveis? Quais são os dramas que se aninham sob o logos da aula? Como dramatizamos a pesquisa-docência? Afinal, o que e como transcriamos ao pesquisar para chegar a inventar uma aula? Tem como referências a filosofia de Deleuze e seu Método de Dramatização, a Didática da Transcriação de Haroldo de Campos e o Metodosofia de Sandra Corazza, que aponta direções e orientações imbuídas de uma liberdade imanente, em face da universalidade, implicadas, como estão, com procedimentos a serem inventados a partir daquilo que o sufixo sofia supõe, a saber: um tipo de sabedoria plena de afectos e perceptos, literatura e arte, ciência e filosofia.

CURRÍCULO LATTES PROFESSORA ESTER

Módulo 4: Ensino da estética e da crítica de arte no enfrentamento ao racismo e ao sexismo com a Professora Dra. Alice Lecci. (Dias 09, 10 e 11 de junho de 2022)

No decorrer das aulas, pretende-se apresentar uma exposição teórica, nos termos da Estética e da Crítica de arte, sobre os modos próprios de enunciação da arte, no que se referem à expressão das subjetividades das artistas. Estas vêm à tona mediadas pelas linguagens artísticas, que, por sua vez, podem conformar as violências racistas e sexistas, que permeiam os corpos femininos negros e indígenas. Nesse sentido, discutem-se também as possibilidades de recepções de determinadas obras, considerando que a experiência estética vivenciada diante destas podem suscitar sentimentos diversos e consequentemente ocasionar alguma reflexão sobre os temas evocados. Há também o propósito de discorrer sobre certas obras, principalmente, de artistas indígenas e negras a fim de proporcionar o exercício de uma análise formal e simbólica das mesmas, no que tange ao enfrentamento do racismo e do sexismo.

CURRÍCULO LATTES PROFESSORA ALICE

Módulo 5: Filosofia em cena – corpos, currículos, metodologias: filosofar no espaço coletivo comum com a Professora Dra. Joana Tolentino. (Dias 07, 08 e 09 de julho de 2022)

Nesse módulo iremos tematizar o filosofar e o ensinar a filosofar fundamentado numa concepção de aula entendida como cena, na qual se dá o encontro dos corpos, em jogo, no espaço comum. Nesta concepção o corpo, comumente negligenciado nos espaços de ensino e aprendizagem, seja na escola ou na universidade, ganha protagonismo e as estratégias e metodologias de ensino orbitam no campo da criação, do jogo, da troca, em atividades que privilegiam os grupos e as metodologias participativas. O objetivo com essa abordagem é potencializar as subjetividades no coletivo da turma, ressaltando a dimensão existencial da filosofia e a afetividade presente em toda atividade de produção de conhecimento, visando a criação de uma comunidade filosófico-pedagógica. Entendemos que essa comunidade seja capaz de se configurar como teia de apoio a quem a integra, abrindo as/os estudantes para o exercício da fala e da escuta compartilhadas, a elaboração argumentativa fundamentada, a análise do contexto, o diálogo com o presente, a percepção de si e do outro, o saber situado, o respeito à diferença. Isso pode ser feito a partir dos mais variados conteúdos filosóficos, mas é necessário estabelecer recortes curriculares que incluam a diversidade das/os estudantes, a fim de que a filosofia e seu cânone não impliquem em uma atitude de alienação de si, decorrente de epistemicídios que invisibilizam e desqualificam a produção de saberes oriunda de corporalidades não-hegemônicas. Visando alcançar esse objetivo, trabalharemos focando o entrelaçamento da filosofia, seus conceitos e textos, com atividades que estimulam a criatividade da/o estudante, com jogos que colocam o corpo em cena (teatrais, lúdicos, retóricos, na interface com diferentes linguagens artísticas), aproveitando a nossa amefricanidade, a fim de atingir um desenvolvendo integral do alunado - cognitivo, afetivo, imaginativo.

CURRÍCULO LATTES PROFESSORA JOANA

Módulo 6: Equidade de gênero na escola, na família, na comunidade e na sociedade em geral com a Professora Dra. Adriana Mattar Maamari. (Dias 08, 09 e 10 de dezembro de 2022)

As aulas têm por finalidade oferecer apoio e orientação às pessoas interessadas em promover a equidade de gênero na escola, na família, na comunidade e na sociedade em geral, a partir de instrumentos de auto avaliação que lhes permita o desenvolvimento de atividades didáticas, a fim de diminuir e eliminar os preconceitos de gênero e o sexismo veiculados pelos materiais didáticos, pelos manuais escolares e, sobretudo, pela sociedade. Contudo, o conteúdo não pretende ser exaustivo, sendo antes de mais nada, interativo. O transcurso das aulas se dará por uma combinação de pesquisa, de auto avaliação e de sugestões práticas, acompanhadas de fontes de informação e bibliografia. Os/as educadores/as, usarão sua criatividade e seus conhecimentos para escolher, dentre estes meios, os mais apropriados para a idade e para o nível de desenvolvimento dos/das alunos/as. 

CURRÍCULO LATTES PROFESSORA ADRIANA