A oficina “Corpo impossível: transgressões feministas e eróticas nas artes” tem a experiência indisciplinar entre teoria e prática como principal dispositivo metodológico. A partir da produção artística e teórica de mulheres de diferentes lugares, gerações e linguagens como Valie Export, Virginie Despentes, Grace Jones, Audre Lorde, entre outras, criaremos um espaço aberto à mutação do olhar sobre si e sobre as coisas, possibilitando reflexões, debates e experimentações psicofísicas e estéticas. As aulas serão compostas por atravessamentos teóricos, coreográficos, literários, musicais e visuais que tenham como premissa a diluição de contornos previamente estabelecidos sobre a forma e a experiência humana idealizadas pelo patriarcado colonialista neoliberal.  

MINISTRANTE

Isaura Suélen Tupiniquim Cruz

Professora

Isaura Tupiniquim é artista do corpo e da música, professora e pesquisadora no campo das artes e das ciências sociais. Licenciada e Mestre em Dança pela Universidade Federal da Bahia, onde também atuou como professora substituta. Doutoranda em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba, onde desenvolve pesquisa sobre os ataques e censuras contra as Artes do Corpo no Brasil atual. Suas principais criações coreográficas são: Mula [...] vídeo performance contemplado no Arte como Respiro do Itaú Cultural (2020); ISTC ? Isaura Suélen Tupiniquim Cruz (2017) espetáculo que conta com a direção artística de Leonardo França; Ópera Nuda (2013); Fricção (2011) vencedor por duas vezes do Prêmio VivaDança-Ba, e apresentado em diversas cidades do Brasil e em Berlim. Estreou como compositora e cantora em janeiro de 2020 com o lançamento do seu primeiro EP Isaura Tupiniquim em Púrpura Ruína.

Aula 1: Ousadas e surreais

Conteúdo programático:  Experimentações criativas a partir do compartilhamento e análise de imagens e ideias de artistas mulheres do surrealismo e da primeira metade do século XX. 

Objetivos: 

  1. Contribuir com difusão de ideias e produções estéticas de artistas mulheres da primeira metade do século XX;

  2. Oferecer uma experiência criativa e de produção crítica entre as participantes a partir desses referenciais

 

Aula 2: Transgressões femininas extremas, sutis e autofccionais

Conteúdo Programático: Experimentações criativas a partir do compartilhamento e análise de imagens e ideias de artistas mulheres da segunda metade do século XX que podem ser consideradas transgressoras e radicais aos paradigmas de contextos políticos e artísticos de uma época. 

Objetivos: 

  1. Contribuir com difusão de ideias e produções estéticas de artistas mulheres da segunda metade do século XX;

  2. Oferecer uma experiência criativa e de produção crítica entre as participantes a partir desses referenciais.

 

Aula 3: Furiosas, estranhas e empoderadas: corpo erótico, corpo político

Conteúdo Programático: Experimentações criativas a partir do compartilhamento e análise de imagens e ideias de artistas mulheres que fazem do erotismo uma prática feminista. 

Objetivos:

  1. Compartilhar ideias e produções estéticas de mulheres que pensam o erotismo a partir de perspectivas distintas; 

  2. Oferecer uma experiência criativa e de produção crítica entre as participantes a partir desses referenciais.