Venda de livros será revertida em bolsas para vagas afirmativas

28/10/2021

Venda de livros será revertida em bolsas para vagas afirmativas

Mulheres apoiando mulheres por meio do Projeto Sororidade

 

União e aliança entre mulheres, baseada na empatia e companheirismo, em busca de alcançar objetivos em comum. Esse pensamento é a base do nosso Projeto Sororidade, que recebeu a doação de cinco unidades do livro "Lei Maria da Penha: entre a teoria e a prática", da autora Drica Madeira. 

A verba dos livros vendidos será totalmente convertida em três bolsas para o minicurso Democracia e Patriarcado, realizado nos dias 11 e 14 de dezembro de 2021. As vagas serão para mulheres indígenas, negras, trans e pertencentes a classes populares. Faremos contatos com instituições que defendem a mesma causa para direcionarmos, com cuidado, as beneficiadas. "As ações afirmativas são fundamentais para tentarmos diminuir o abismo social que nos divide", destaca a Professora Drica.

"Diante da grave ameaça às nossas vidas que vivemos no início de 2020, bem como ao longo do ano, me envolvi em alguns projetos virtuais de muito valor para minha formação. Mas foi na Escola As Pensadoras que encontrei abrigo para reflexões e discussões pertinentes ao momento em que estamos inseridas, com uma metodologia feminista e um cuidado muito particular com suas alunas. Esse afeto foi crescendo e me levou a fazer parte  da Comunidade As Pensadoras. Na Comunidade, entendi que cada uma contribui com o que pode, resolvi então fazer a doação de alguns exemplares do livro 'Lei Maria da Penha entre a teoria e a prática' fruto da minha dissertação de mestrado", disse a Professora Drica. 

 

Que tal ser uma mulher que apoia outra mulher como a Professora Drica Madeira?

 

O livro

“Lei Maria da Penha: entre a teoria e a prática” é uma obra pautada a partir da dissertação de mestrado em Direito realizado por Drica Madeira que apresenta como o Poder Judiciário lida com os conflitos que envolvem violência doméstica e familiar contra as mulheres e descreve as “respostas” diferenciadas, a depender dos profissionais que lidam com os casos, que o sistema de justiça oferece, ou não oferece, às mulheres, vítimas de violência, propondo reflexões no sentido de que, no lugar de culpados, deve-se buscar compreender as variáveis e as complexidades que interferem na administração desses conflitos. 

Sobre a autora: Drica Madeira é Doutoranda em Ciência da Literatura na UFRJ sob orientação da professora emérita da Escola de Comunicação da UFRJ, Heloisa Buarque de Hollanda e da professora titular Beatriz Resende, e pesquisadora do Programa Avançado de Cultura Contemporânea e do Fórum M, espaço aberto para o debate sobre a questão da mulher na Universidade (PACC – Letras/ UFRJ).Formou-se em Letras Português Literatura pela UCP – Petrópolis, com mestrado em Direito pela mesma Universidade. 

A autora foi também coordenadora do Centro de Referência e atendimento à Mulher de Petrópolis (CRAM – Tia Alice), coordenadora executiva da Superintendência de Direitos da Mulher do Estado do Rio de Janeiro (SEDH-RJ), coordenadora executiva do Planetário do Rio de Janeiro.