As Pensadoras em Sororidade constroem pontes para o futuro das mulheres

23/03/2021

O grande pilar da Escola As Pensadoras é oportunizar a formação intelectual para o maior número de mulheres. Com essa base, a Escola também vem construindo pontes e expandindo o seu trabalho de transformação social por meio do Projeto Sororidade. 

A palavra sororidade vem do latim: soror, que quer dizer irmã, ou seja, sororidade é irmandade. Para a Escola, esse apoio entre mulheres vai da teoria para a prática. Lançado ainda em 2020, o projeto destina parte dos valores dos cursos ao apoio a entidades que realizam ações sociais para mulheres. Além de possibilitar que, de forma igualitária, mulheres negras, indígenas e de classes populares possam ter acesso ao conhecimento, por meio de bolsas oferecidas aos coletivos feministas. 

Outra frente da iniciativa são os convênios firmados com sindicatos, associações, cooperativas, institutos, diretórios acadêmicos, órgãos do poder público entre outras organizações sociais. As docentes da rede básica de ensino público da rede municipal e estadual também possuem descontos nos cursos da Escola.

Conforme a coordenadora da Escola, Rita Machado, o Projeto Sororidade existe porque muitas pessoas acreditam no potencial transformador dele. “Para este ano, muitas outras ações serão desenvolvidas, sempre apoiando mulheres que buscam sua formação intelectual”. 

No campo da política, o Sororidade apoiou o programa Mais Mulheres na Política, nas últimas eleições. A ação incentivava a participação feminina nos espaços de poder e decisão.  

Iniciativas para mulheres em situação de vulnerabilidade social:

Parte do valor das inscrições do curso Pensadoras Negras Brasileiras ocorrido no mês de agosto de 2020 foi destinado para a compra de 29 cestas básicas e 29 cobertores  para as mulheres quilombolas de Coxilha Negra, em São Lourenço do Sul, RS. Todas são pequenas agricultoras, artesãs e faxineiras na cidade.

Outra ação realizada no ano passado foi com o recurso obtido por meio das inscrições do Minicurso Ecofeminismos 1ª e 2ª edição. A arrecadação garantiu apoio financeiro a 12 mulheres agricultoras participantes da Feira Agroecológica de Tefé, região do Médio Solimões, AM.

A Escola visa ampliar as ações, envolvendo todas as participantes, pois acredita na importância de uma mulher dar a mão para a outra. Para ampliar essa corrente, as interessadas também podem participar da Comunidade d’As Pensadoras. Para se associar, clique aqui. 

Vem com a gente ser uma pensadora da teoria-ação!